Responsive Ad Slot

Últimas

Últimas

Em documento, Stan Lee diz que filha tenta se apropriar de sua fortuna

quinta-feira, 12 de abril de 2018

/ por News Paraíba

Revista afirma que J.C. Lee restringiu acesso ao pai, que tem 95 anos, e que ele estaria ciente de um complô entre a filha e conhecidos por seus bens

Stan Lee foi tema de uma grande reportagem da revista americana Hollywood Reporter nesta quarta-feira. Porém, a análise não é voltada para seu trabalho de longa data como roteirista da Marvel e sim sobre abusos financeiros que Lee, aos 95 anos, estaria sofrendo. Segundo a revista, uma declaração assinada pelo escritor afirma que sua filha, Joan Celia Lee, conhecida como J.C. Lee, 67 anos, e pessoas próximas a ela estão tentando se apropriar de seu dinheiro e suas propriedades.

O documento, assinado em 13 de fevereiro deste ano no escritório de Tom Lallas, seu então advogado, foi escrito após Stan ter uma briga séria J.C. em casa. Fruto da união do roteirista com a modelo Joan B. Lee (morta em 2017), J.C. não tem uma fonte de renda fora o pai e chega a gastar até 136.000 reais por mês com cartão de crédito. Por isso, ele e Joan, haviam criado um fundo para que ela não fique desamparada no futuro. O escritor contou ainda que J.C. constantemente pede para que ele passe dinheiro e propriedades do fundo para o nome dela.

Depois dessa contextualização, Stan Lee falou no documento que Jerardo Olivarez, Keya Morgan e Kirk Schenck, advogados de sua filha, estariam manipulando-a para se aproveitar do dinheiro dele e tomar o controle de suas propriedades.

Olivarez já tem um histórico de problemas com Lee. Segundo a Veja, o publicitário alega ter recebido um cheque de 300.000 dólares (cerca de 1 milhão de reais) do quadrinista como presente, além de um apartamento no valor aproximado de 850.000 dólares (cerca de 2,9 milhões de reais). Rumores dizem que ele assinou o cheque sem o consentimento de Lee. Por fim, Olivarez foi afastado do escritor.

Max Anderson, outro ex-funcionário, é acusado de oferecer 170.000 a uma enfermeira de Stan para fazer uma declaração de que ele era mantido em casa contra a própria vontade. Max confirma o tal pedido, mas nega que tenha oferecido dinheiro para a funcionária.

Alguns dias após a assinatura do documento, a polícia de Los Angeles foi chamada à casa do escritor por uma briga envolvendo Tom Lallas. Depois do incidente, ele deixou de ser o advogado de Stan Lee.

A partir de então, J.C. e Keya Morgan restringiram o acesso do escritor a pessoas conhecidas. Eles contrataram um contador e um advogado novo, dispensaram os criados da casa e Mike Kelly, seu assistente há 25 anos, teve contato reduzido. Além disso, seus e-mail e telefone também foram trocados.

Após saber que o Hollywood Reporter teve acesso à declaração, Keya Morgan gravou um vídeo no qual Stan nega que tenha assinado o documento e que seu conteúdo é “totalmente incorreto, mentiroso e insultante”. A filha J.C. não se pronunciou, mas seu advogado falou ao site que ela não estava influenciando o pai, mas que um grupo de homens poderia, sim, estar manipulando-a.

Pessoas próximas à família disseram que Joan, mulher de Stan, era quem comandava as decisões familiares e quem tinha melhor relação com a filha. Com a sua morte em 2017, após sofrer um derrame cerebral, tanto a administração do lar quanto a saúde de Stan se complicaram. Em fevereiro deste ano, ele divulgou um vídeo no qual disse que estava enfrentando uma pneumonia.

Após o caso, o cineasta Kevin Smith se sensibilizou com a história e abriu as portas de sua casa para Stan: “Isso é de cortar o coração. Nós te amamos, Stan Lee. Sinta-se à vontade para vir morar comigo, ou deixe que nós, fãs, paguemos uma nova casa para você. Sentimos sua falta”.
Não deixe de ler
© Todos os direitos reservados.