Responsive Ad Slot

Últimas

Últimas

Frotas de ônibus são reduzidas em João Pessoa e Campina Grande por falta de combustível

quarta-feira, 23 de maio de 2018

/ por News Paraíba

Redução acontece a partir desta quarta-feira (23) e é um reflexo da paralisação dos caminhoneiros.

As frotas de ônibus de João Pessoa e Campina Grande vão ser reduzidas a partir desta quarta-feira (23). A redução é um reflexo da paralisação dos caminhoneiros, que acontece desde segunda-feira (21). Os caminhões que abastecem os postos de combustíveis estão parados no Porto de Cabedelo, em protesto, e não há previsão para voltar as atividades.

Em João Pessoa, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivos Urbanos (Sintur-JP) informou que a partir das 12h desta quarta-feira, a frota que opera na capital vai sofrer uma redução de até 25%, circulando com o equivalente ao número de ônibus que atende aos passageiros nos sábados.

Segundo o Sintur, a decisão é preventiva e visa evitar maiores danos ao transporte público coletivo. A medida, autorizada pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), valerá até a normalização do abastecimento dos combustíveis.

De acordo com o G1, em Campina Grande, a Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) informou que a redução de 38% da frota também começa no início da tarde desta quarta-feira, por causa do desabastecimento de óleo diesel.

Empresas que reduziram as frotas em Campina Grande:

    Transnacional - retirou um ônibus das linhas menores e dois das maiores
    Nacional - vai funcionar com o quadro de horários destinados aos sábados
    Cabral - só tem combustível suficiente até a sexta-feira (25)
    Cruzeiro - vai reduzir um ônibus da frota

Falta combustíveis em João Pessoa

Aproximadamente 58 postos de João Pessoa estão sem algum tipo de combustível nesta quarta-feira (23), segundo informou ao G1 o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado da Paraíba (Sindipetro-PB), Omar Hamad. A capital tem 117 postos de combustíveis e 50% estariam passando por esta situação.
Não deixe de ler
© Todos os direitos reservados.