Responsive Ad Slot

Últimas

Últimas

Protesto de caminhoneiros contra preço do diesel para trânsito em vários pontos da Paraíba

quarta-feira, 23 de maio de 2018

/ por News Paraíba

Há registro de interdição parcial em pelo menos sete pontos das rodovias federais que cortam o estado.

Desde o início da manhã desta quarta-feira (23), o protesto de caminhoneiros contra o aumento no valor do diesel, que chegou  ao terceiro dia, ocupa rodovias federais que cortam o estado da Paraíba. Além disso, motoristas de aplicativos também se organizam para protestos em João Pessoa e Campina Grande.

Pelo menos sete trechos de rodovias federais estão com interdição para o trânsito de caminhões e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) está atualizando minuto a minuto um mapa nacional com dados sobre trechos paralisados. A manifestação chegou nesta quarta-feria à região de João Pessoa, com um bloqueio na BR-101, no Km 089 próximo ao viaduto de Oitizeiro, e outro no km 35 da BR-230, em Bayeux.

Em Campina Grande, onde as interdições acontecem desde a segunda-feira (21), o trânsito está bloqueado na BR-230, no Km 153, na saída da cidade no sentido João Pessoa; e no Km 165 no trecho do distrito de São José da Mata.

Os outros pontos de manifestação são no Km 213 da BR-230, em Soledade; e no Km 18 da BR-412, nas proximidades da cidade de Boa Vista, e no Km 145, em Monteiro.
 
Caminhões estacionados nas margens da BR

Apesar das manifestações nos trechos das BRs, o bloqueio afeta apenas o tráfego de caminhões. Veículos de passeio não estão sendo parados, no entanto, há registro de trânsito lento em determinados locais. Os veículos de carga estão sendo estacionados às margens das rodovias e os caminhoneiros pedem o apoio das pessoas que passam pelo local.

O protesto de caminhoneiros começou na segunda-feira (21) depois de um novo  anúncio em aumento no preço de combustíveis pela Petrobras. A mobilização também atinge outros estados do país.

O trânsito também está interditado esta tarde em alguns pontos da área urbana em João Pessoa, com bloqueios na avenida Hilton Souto Maior, em frente à igreja católica do José Américo, e em frente ao Caic, em Mangabeira; na ladeira do bairro do Valentina; no cruzamento das avenidas Epitácio Pessoa e Ruy Carneiro; e na avenida principal dos Bancários, em frente a uma auto escola.

O protesto da Epitácio Pessoa, no entanto, é realizado por um grupo de índios potiguara, que já tinha realizado a manifestação na terça-feira. As informações são da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob).

Paralisação afeta serviços

Com a interrupção no trabalho dos caminhoneiros, os sindicatos dos donos de postos de combustíveis dizem que os estoques estão caindo e que já falta algum tipo de combustível em 50% dos postos da região de João Pessoa e em 30% dos de Campina Grande.

Por conta da falta de combustível, as empresas de transporte público das duas cidades também reduziram suas frotas, sendo que na capital a redução é de 25% e em Campina, de 38%. Segundo a Semob, as linhas 5209, 2509, 302 e 5603 foram impedidas de sair do terminal.

Em meio aos protestos e à falta de gasolina e muitos postos, o Procon de Campina Grande divulgou uma pesquisa que indica um reajuste de 6,12% no preço do litro da gasolina este mês na cidade. E os Correios suspenderam o recebimento e entrega de Sedex informando que o serviço está impedido por conta da paralisação dos caminhoneiros.

Algumas empresas publicaram notas informando que pararam o funcionamento por conta da mesma situação. A empresa de viação intermunicipal Rio Tinto suspendeu os horários das viagens até a paralisação termine, “para garantir a segurança dos nossos usuários e evitar maiores transtornos”.

E a prefeitura de Santa Rita suspendeu a coleta de lixo na cidade porque os veículos que atuam no trabalho não estão conseguindo ter acesso ao aterro sanitário e para evitar desabastecimento total. Na mesma nota, a prefeitura pede que os moradores não descartem o lixo de forma irregular.

Aeroporto funcionando normalmente

Ao contrário de informações que circularam na manhã desta quarta-feira, a Infraero garante que o Aeroporto Castro Pinto está operando normalmente. Segundo nota enviada ao JORNAL DA PARAÍBA, a empresa “está monitorando o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais, além de estar em contato com companhias aéreas e órgãos públicos relacionados ao setor aéreo para garantir o fornecimento de combustível de aviação”.

Para casos de dúvida, a Infraero recomenda que os passageiros procurem as companhias aéreas para consultar a situação de seus voos.

Na Paraíba, duas liminares concedidas pela Justiça proíbem a interdição das rodovias pelos caminhoneiros. A última emitida pelo Juiz Federal Gustavo de Paiva Gadelha na segunda-feira (21), titular da 6ª Vara Federal em Campina Grande, impede os bloqueios nas BR’s 104 e 230 na Jurisdição da Justiça Federal na cidade.

A decisão soma-se à uma outra liminar concedida no domingo (20) pelo  juíz Emiliano Zapata de Miranda Leitão, onde os caminhoneiros autônomos e entidades representativas de classe estão proibidos de realizar manifestações que ocupem, obstruam ou dificultem a passagem de veículos nas BR’s 101, 104 e 230 no estado da Paraíba.

Segundo o assessor de imprensa da Polícia Rodoviária Federal, Francenildo Fortunato, a PRF já está tomando as medidas cabíveis. “Estamos identificando os líderes políticos que comandam esses bloqueios. Mediante essa identificação, vamos mandar relatório para a Justiça que vai tomar as medidas cabíveis”, explicou. A PRF ainda está monitorando os veículos responsáveis por realizar o bloqueio para autuar os proprietário, algo que vem sido feito desde de domingo. “Ao final das paralisações, vamos emitir uma nota explicando o que foi feito, já que isso é um protesto novo até para nós”, disse.

Nas duas decisões fica determinado o processo de manutenção/reintegração para que os manifestantes se abstenham de ocupar, obstruir ou dificultar a passagem de veículos em rodovias federais no estado, sob pena de multa de R$ 200 mil ao Sinditac – PB – Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas no Estado da Paraíba (filiado à CNTA – Confederação Nacional dos Transportes Autônomos) e a Fecone – Federação Interestadual dos Transportes Rodoviários Autônomos de Cargas e Bens da Região Nordeste, bem como, R$ 20 mil por pessoa física participante, por hora de interdição.

Redução anunciada pela Petrobras não teve efeito

Em meio ao protesto, a Petrobras anunciou na terça-feira  uma redução no preço da gasolina em 2,08% e o do diesel em 1,54%, no entanto, sem alteração na política de preços dos combustíveis. Uma reunião entre Ministros do Governo Temer e o presidente da Petrobras também foi realizada no mesmo dia para discutir os reajustes constantes nos preços dos combustíveis.

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, explicou que a reunião teve o objetivo de dar informações sobre a dinâmica de mercado e que a redução dos preços da gasolina e do diesel, anunciada pela empresa, não foi feita por pressão política. Ele explicou que a decisão foi tomada em função da queda do dólar na terça-feira. “A redução de hoje é simples de entender: houve uma redução importante de câmbio. É a prova de que essa política tanto funciona na direção de subir os preços quanto de cair os preços. O Banco Central interveio com mais intensidade no mercado, houve uma redução de câmbio e isso foi refletido no preço de hoje”, disse o presidente da Petrobras.

Em cumprimento à redução informada pela Petrobras, o valor da gasolina nas refinarias cairá a partir desta quarta-feira (23) de R$ 2,0867 o litro para R$ 2,0433 a partir desta quarta. Já o preço do diesel será reduzido de R$ 2,3716 para R$ 2,3351. Apesar da medida de redução questão da queda do dólar, a mobilização dos caminhoneiros continua em ocupação nas rodovias federais do país.

Debate no Congresso

Os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciaram, na tarde desta terça-feira (22), que o governo vai zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) cobrada sobre os combustíveis.

A Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados anunciou que vai discutir a alta dos combustíveis em uma reunião marcada para às 9h30 nesta quarta-feira (23). Conforme o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o Governo se compromete a eliminar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), imposto sobre o diesel, se os parlamentares aprovarem o projeto de reoneração da folha de pagamento.
Não deixe de ler
© Todos os direitos reservados.