Responsive Ad Slot

Últimas

Últimas

Com 4 segundos na TV, Marina inaugura 'horário pessoal gratuito' na internet

terça-feira, 24 de julho de 2018

/ por News Paraíba

Pré-candidata estreia hoje série de transmissões ao vivo com conversas informais

Com a expectativa de ter apenas quatro segundos em cada bloco da propaganda eleitoral, a pré-candidata da Rede Sustentabilidade à Presidência Marina Silva deve começar nesta terça-feira uma espécie de "horário pessoal gratuito", com conversas ao vivo pelas redes sociais com simpatizantes de sua campanha. Sem nenhuma aliança confirmada e com pouca expectativa de firmar um acordo até a convenção nacional da sigla, em 4 de agosto, a ex-senadora usará seu tempo de televisão apenas para avisar aos eleitores sobre as transmissões em seus perfis.

A estratégia já foi empregada por outro candidato da Rede, o ex-juiz Marlon Reis, que tentou chegar ao governo do Tocantins nas eleições suplementares realizadas em junho deste ano. A campanha de Reis, que saiu de quase desconhecido da população do estado para 9% no resultado final é vista dentro da legenda como um exemplo a ser seguido na campanha presidencial. De acordo com O Globo, o ex-magistrado, autor do projeto da Ficha Limpa, também utilizou uma rede de voluntários, assim como pretende fazer Marina.

— Os quatro segundos só dá pra chamar na internet. É tipo o "Eu sou o Enéas" — brinca Andrea Gouvea Vieira, coordenadora da campanha de Marina, em referência ao bordão de Enéas Carneiro, candidato a presidente em 1989, 1994 e 1998 pelo extinto Prona.

Em 2014, a campanha de Marina chegou a fazer transmissões ao vivo de atividades políticas, como reuniões com apoiadores. Mas o conceito para esse ano é diferente: é transmitir conversas de Marina com as pessoas para expor suas ideias e propostas.

O grupo de simpatizantes que colabora com a campanha, o "Somos Marina", deverá atuar na divulgação da transmissão. A princípio, a pré-candidata deverá fazer duas transmissões por semana com colaboradores da campanha. A primeira "live" está marcada para a tarde desta terça-feira.

A ideia da campanha é fazer conversas informais nas transmissões. Nas últimas duas candidaturas, a pré-candidata foi criticada por falas que eram consideradas exageradamente complexas. Um dos focos da campanha é simplificar o conteúdo da mensagem de Marina para os eleitores, até porque um dos grupos que mais declara intenção de votos em Marina são mulheres de baixa renda no Nordeste.

A pré-candidata terá direito a R$ 5 milhões do fundo eleitoral, metade de toda a quantia reservada à Rede. Enquanto outros candidatos, como Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB), têm empresas especializadas para cuidar dos vídeos nas redes sociais, voluntários e militantes são os responsáveis por fotografar e filmar Marina durante sua pré-campanha.

Segundo Andrea Gouvea Vieira, não há nenhuma empresa de marketing contratado. Para a transmissão, um grupo de voluntários virá de São Paulo.

— São pessoas que foram contactadas e a maioria está participando como voluntário. Eles sabem fazer — disse Andrea.

CRÍTICAS A REFORMA ELEITORAL

Nesta segunda-feira, a pré-candidata afirmou que a reforma eleitoral que mudou o tempo de TV e instituiu o fundo eleitoral foi criado especificamente para diminuir suas chances nas eleições. A ex-senadora, que ocupa a segunda colocação nas intenções de voto nos últimos levantamentos, afirmou que o deputado federal Miro Teixeira (Rede-RJ) lhe disse que a reforma era conhecida na Câmara como "Lei Marina".

Após o acordo do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do PSDB, com o centrão, Marina atacou diretamente a aliança e admitiu que o partido tem dificuldades para costurar uma coligação com mais siglas. O motivo indicado por Marina para as dificuldades, no entanto, seria sua exigência por acordos programáticos.

O partido procurou outras legendas que estiveram com Marina, como o PV e o PPS. Os dois tendem, no entanto, para a neutralidade ou o apoio a Alckmin. De acordo com parlamentares ligados a esses partidos, um dos principais entraves para uma aliança seria a reticência do grupo de Marina em iniciar conversas concretas.
Não deixe de ler
© Todos os direitos reservados.