Responsive Ad Slot

Últimas

Últimas

Documentação revela pagamentos irregulares feitos pela Câmara de Cabedelo ao contador Arthur Gadelha

sábado, 22 de dezembro de 2018

/ por News Paraíba

Uma das figuras de maior destaque nas últimas semanas na cidade de Cabedelo depois da publicação de uma carta onde faz acusações contra o prefeito Vítor Hugo, o ex-contador do município, Arthur Gadelha, volta à cena com uma série de supostas irregularidades, apontadas nos pagamentos de serviços prestados à Câmara de Cabedelo através de empenhos duplicados, emitidos e pagos pelo então presidente da Casa, Lúcio José do Nascimento Araújo.

Dentre as investigações de possíveis irregularidades na aquisição de merenda escolar e de material e insumos para a saúde do município sob o seu comando na contabilidade municipal, documentos apontam irregularidades em pagamentos de mais de R$ 18 mil sem licitação a Arthur, com numeração duplicada de empenhos por serviços indeterminados (sem descrição), prestados pelo contador à Câmara Municipal no ano de 2017.

Além da irregularidade identificada nesses pagamentos, Arthur não recebia da Câmara os valores referentes aos seus serviços em parcelas iguais ou fixas, como é praxe em todo contrato firmado com entes públicos.

No confronto entre os empenhos pagos a Arthur Gadelha e as informações enviadas ao Sagres do TCE, identifica-se a inconformidade.

O empenho 011 foi utilizado para pagar uma conta da Energisa no valor de R$ 860,50 e uma nota de Arthur no valor de R$ 7.743,18.

VEJA:




Já o empenho 018 teve sua numeração duplicada para pagar R$ 350,00 pela confecção de carimbos e para repassar a Arthur R$ 10.300,00.

CONFIRA:



Arthur Gadelha se destacou recentemente no âmbito estadual por acusações que fez contra o prefeito Vítor Hugo, em uma carta aberta logo após a sua demissão da Prefeitura de Cabedelo, na atual gestão.

Arthur acusou Vítor Hugo de "inconsequente, inoportuno e irresponsável".

Mas Arthur fora o contador do ex-prefeito Zé Régis por 12 anos, dentre os quais teve 9 contas reprovadas pelo TCE. Além de Zé Régis, ele também prestou serviços a Leto Viana, prefeito preso pela Operação Xeque-Mate, em uma gestão que teve outras dez pessoas presas (além de Leto) pelo Gaeco e pela Polícia Federal, 85 servidores públicos afastados, 26 pessoas denunciadas por corrupção, e desvios de mais de R$ 30 milhões do erário cabedelense.

O escândalo foi nacional, todo o Brasil viu. Menos Arthur.

News Paraíba
Não deixe de ler
© Todos os direitos reservados.