Responsive Ad Slot

Últimas

Últimas

Carlos Pereira Jr. cumpre agenda com presidente da Cagepa para discutir problemática da água de Santa Rita

domingo, 3 de fevereiro de 2019

/ por News Paraíba

O Vereador Carlos Pereira Jr. (PSB) foi recebido pelo presidente da Cagepa, Marcos Vinícius Fernandes Neves, na última sexta-feira (1°), para discutir as questões que envolvem a água de Santa Rita e a tentativa do prefeito Emerson Panta de vender o patrimônio hídrico da cidade, desde o rompimento do contrato de concessão dos serviços que mantém com a empresa, renovado em sua última vez no ano de 2005.

O presidente da Câmara de Santa Rita, Gustavo Santos, também esteve presente, acompanhando o parlamentar no encontro.

Segundo Carlos Pereira Jr. é extremamente urgente e necessário que se busque uma via de diálogo entre a cidade e a Cagepa para que a população não seja prejudicada, vez que, com a privatização do abastecimento e do saneamento, os serviços se tornarão muito mais caros, pesando ainda mais no bolso do cidadão santarritense.

Para Marcos Vinícius, o problema de privatizar o sistema de abastecimento d’água do município canavieiro vai muito além do “querer” do prefeito e passa por um complexo debate, que envolve cifras altíssimas para a estruturação dessa possível nova rede e o completo desconhecimento de Panta em relação à realidade da operação que busca efetivar.

“Ele está buscando o caminho do isolamento, os efeitos disso serão catastróficos, temos absoluta certeza de que o prefeito de Santa Rita desconhece a realidade do assunto”, pontuou.

O presidente também levantou uma série de questões para mostrar que a venda da água de Santa Rita não é algo tão simples como o prefeito imagina e envolve situações como a necessidade de um estudo profundo de viabilização e preservação dos mananciais, como o Rio Tibirizinho, que abastece a cidade, e de respostas para questionamentos importantes, como o modo como uma empresa privada implantaria um novo sistema de abastecimento, visto que toda estrutura atual de tubulação, reservatórios, barragens e adutoras pertence à Cagepa.

Segundo o presidente, o orçamento para sanear Santa Rita gira em torno de R$ 200 milhões, e sem uma empresa estatal para absorver esse custo, como vem sendo feito historicamente pela Cagepa, ele será repassado para a população, que pagará a conta por mais vez na gestão Panta, com uma tarifa muito mais cara que a atual. 

“Para sanear Santa Rita serão necessários cerca de R$ 200 milhões. Nem se a empresa vencedora usasse todo o dinheiro da receita só para sanear seria possível atender a essa demanda. Até porque, desse mesmo montante, a terceirizada tem de abastecer Santa Rita inteira incluindo a Zona Rural, e isso inclui a construção de barragens, construção de adutoras, construção de reservatórios e refazer todas as tubulações, visto que, as que existem são da Cagepa”, relata.

Marcos Vinícius ainda afirma que, decidido a vender o patrimônio hídrico de Santa Rita, Panta jamais tentou iniciar qualquer diálogo com a Cagepa, e ainda faz um mea culpa acerca da necessidade de melhoramento dos serviços da companhia na Rainha dos Canaviais.

"Quero esclarecer que desconheço, na minha gestão e ou nos últimos meses, qualquer tentativa por parte do Poder Executivo de Santa Rita de buscar dialogar conosco. Reconhecemos que precisamos melhorar e já fizemos muitas obras e intervenções, com esse intuito”, disse ele.

Para Carlos Pereira Jr., o encontro foi produtivo e esclareceu muitas questões obscuras até então, o que deve contribuir para as discussões que seguirão na Câmara Municipal e que sucederão a queda do veto de Panta ao Projeto de Lei n.º 063/2019, que só permite a privatização da água com a autorização do parlamento mirim canavieiro.

“É muito importante que se mantenha esse canal de diálogo permanente com a Cagepa no sentido de melhorar seus serviços na cidade, o que é consenso entre a população e a empresa, e que nós, vereadores, possamos exercer o nosso papel de, além de fiscalizadores do Poder Executivo, interlocutores dos interesses dessa mesma população, que nos atribuiu essa premissa de lhe representar na ‘casa do povo’. Vamos criar os meios de discutir e debater muito sobre essa problemática da água da nossa cidade. É só o começo”, declarou Carlos Jr.

News Paraíba com informações da ASCOM CMSR
Não deixe de ler
© Todos os direitos reservados.