Responsive Ad Slot

Últimas

Últimas

“Está claro o desvio desse recurso, atendendo a um interesse particular”, diz Allan Terruel sobre a realização de congressos fake pelos vereadores de Santa Rita

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

/ por News Paraíba

Em participação no Programa Correio Debate, da 98 FM CorreioSat, nesta terça (5), o delegado Allan Murillo Terruel, responsável pela Operação ‘Natal Luz’, que prendeu onze vereadores e o contador da Câmara Municipal de Santa Rita, em ação conjunta com o Gaeco do Ministério Público, disse estar claro desvio de recursos público para obtenção de vantagens  pessoais, configurando o crime de  peculato, através  do qual os parlamentares santarritenses devem ser enquadrados e denunciados no inquérito instaurado pela DRACO/DECCOR em conjunto com o Gaeco do Ministério Público da Paraíba.

A ação ainda conta com Ministério Público e Polícia Civil de Sergipe,  além do MP do Rio Grande do Sul.

“Como é que a população tem que suportar o custeio de passagens aéreas, de diárias, de hospedagens, e mais da inscrição do curso para que ele aconteça no Rio Grande do Sul, nem Sergipe, que era a base da empresa, aconteceu no Rio Grande do Sul durante o Natal Luz, que um ponto turístico”, questionou.

“Se os vereadores estivessem um pouco preocupados com a sociedade, com custeio, eles teriam feito esse congresso dentro da Câmara Municipal de Santa Rita, está claro o desvio desse recurso atendendo a um interesse particular e junto com isso uma pseudo-realização de congresso e de capacitações profissionais. Essa empresa, que chama ICAP, já é investigada em Sergipe e nós vamos passar a investiga-la também”, garantiu.

O delegado ainda explicou como serão os desdobramentos da prisão, com a finalização da lavratura dos flagrantes, quando os presos irão à audiência de custódia, que está prevista para acontecer nesta quarta-feira (6).

Caso sejam liberados, vereadores e contadores devem ter decretadas algum tipo de medida cautelar, caso o pedido de prisão feito pelo Ministério Público seja deferido pela Justiça, os detidos permanecerão, no mínimo,  81 dias presos, distribuídos em presídios (masculino e feminino) e batalhões da Polícia Militar para o caso dos graduados com curso superior.

OUÇA, NA ÍNTEGRA:


News Paraíba

Não deixe de ler
© Todos os direitos reservados.